Blogger templates

traduzir para inglêsTraduzir para Espanholtraduzir para françêstraduzir para alemão

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Ovos Mexidos com Salsichas, Queijo e Azeitonas

















1 lata (8 unidades) de salsichas de aves com proteína do leite da Nobre
8 ovos grandes
3 c. sopa de azeitonas pretas picadas grosseiramente
100 g de queijo flamengo Terra Nostra
2 c. sopa de manteiga (usei Terra Nostra)
1 pitada de sal fino 
1 pitada de pimenta branca (usei da marca Margão)
Salsa fresca q.b. 
Fatias de pão tipo Mafra


Comece por juntar os ovos num recipiente pequeno, tempere-os com sal e pimenta e bata-os muito bem.
Pique as azeitonas e o queijo grosseiramente, corte as salsichas em pedacinhos e junte ambos aos ovos batidos.
Derreta a manteiga numa frigideira em lume brando, adicione-lhe o preparado de ovo e mexa com uma colher de pau para formar os ovos mexidos.
Quando estes já se apresentarem cozidos, mas ainda com alguma húmidade e cremosidade, desligue o lume.
Sirvas os ovos, polvilhados com salsa picada, sobre fatias de pão.



Para acompanhar este prato, recomendo:



Quinta da Lixa Branco 
O tal Vinho da Lixa

Castas: Loureiro, Alvarinho e Trajadura
Região: Vinhos Verdes

O Quinta da Lixa é produzido com algumas das mais nobres castas da região dos vinhos verdes, produzidos e vinificados na região que lhes dá o nome.
Aspecto brilhante e cor citrina. No aroma apresenta um carácter frutado com algumas nuances a frutos tropicais e um caracter floral.
Na boca confirma toda a expectativa criada pela intensidade do aroma, muito equilibrado, este vinho apresenta-se seco com complexidade e persistência.








Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à NobreTerra Nostra, Margão e Quinta da Lixa pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





quinta-feira, 23 de abril de 2015

Cobbler de Morango



















185 g de morangos
40 g + 1 c. sopa de açúcar
½ c. sopa de sumo de limão
35 g de aveia em flocos
1 c. sopa de cevada em flocos (usei da marca Sementina)
40 g de farinha
50 g de manteiga com sal, gelada e picada (usei Terra Nostra)


Pré-aqueça o forno a 180°C.
Unte com manteiga dois pequenos recipientes de cerâmica. Divida os morangos entre eles, salpique cada um com ½ colher de sopa de açúcar e regue com o sumo de limão. Deixe assim por 10 minutos.
Enquanto isto, misture a manteiga, a farinha, a aveia e o restante açúcar (40g) numa tigela e, usando as pontas dos dedos, vá unindo a manteiga aos ingredientes secos, até obter um farelo grosso. 
Espalhe esta mistura sobre os morangos e leve ao forno por 25-30 minutos ou até dourar.

Nota: Rende 2 porções.




Para acompanhar esta sobremesa, recomendo:


Late Bottled Vintage (LBV) 2009 - Quinta do Estanho

Espuma: Avermelhada
Aroma: Limpo e agradável, com leves notas achocolatadas

Sabor: Limpo e agradável, com taninos equilibrados, denotando ainda um frutado agradável



Vinho do Porto de excepcional qualidade, de uma só colheita oriunda de uvas tintas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz, entre outras.


Verificado com especial rigor, envelhece em tonéis de madeira até ao 4º ou 6º ano e depois em garrafa.





Para preparar esta deliciosa sobremesa, utilizei a cocotte cerâmica de cor vermelha da Staub.






Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta sobremesa.

O meu muito obrigada à StaubTerra Nostra, Sementina e Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





quarta-feira, 22 de abril de 2015

Nigiri - Sushi (de Camarão)




















110 g de arroz para sushi da Oriente/ Novarroz
250 ml de água
1 c. sopa de vinagre de arroz
1/2 c. sopa de açúcar
1 pitada de sal (usei a flor de sal Marnoto)
Óleo de sésamo q.b. (usei o óleo de sésamo torrado da Sovex)

500 g de camarão inteiro
2 folhas de alga nori
Palitos de madeira q.b.
Molho de soja (usei da marca Kikkoman)


Retire a cabeça dos camarões e tempere-os com sal, deixando tomar gosto por 1 hora.
Espete um palito em cada camarão (ainda com casca), enfiando na zona onde estaria a cabeça e atravessando o seu corpo todo, passando rente às patinhas.
Aqueça água e quando esta estiver em fervura forte, adicione-lhe os camarões por cerca de 1 minuto (ele deve ficar todo vermelho). Retire do lume, escorra-os e deixe o camarão arrefecer ainda no palito.
Quando se encontrarem completamente frios, retire o palito e a casca do camarão mas deixando a cauda. Com uma faca bem afiada, abra a barriga do camarão, com muito cuidado para não partir a sua pele externa e passe-os em água corrente para os lavar. Coloque-os a secar, abertos, sobre uma peneira ou passador.

Lave o arroz em água corrente fria, transfira-o para um passador de rede e deixe-o escorrer por 1 hora.
Ao fim deste tempo, aqueça 500ml de água e, quando ferver, junte-lhe o arroz escorrido. Deixe cozer, em lume brando, até que toda a água seja absorvida. Reduza o lume para o mínimo que puder, tape, e coza por mais 5 minutos. Retire o tacho para uma superfície neutra e, tapado, deixe repousar por mais 10 minutos (ao fim deste tempo o arroz deve apresentar-se ligeiramente pegajoso, mas firme).
Entretanto, misture o açúcar com o vinagre e o sal e leve ao lume para dissolver, mexendo.
Transfira o arroz para um recipiente largo (tabuleiro de barro/plástico ou tábua de cozinha), regue-o com a mistura anterior, envolva bem e espalhe-o com o auxilio de uma espátula. Deixe-o secar e arrefecer por cerca de 10 minutos.
Peque no nigiri sushi maker e unte ambas as suas partes internas com óleo de sésamo.
Preencha a base com o arroz, sem encher demasiado e coloque a tampa, pressione com as duas mãos sobre as abas laterais e desenforme.
Coloque os camarões sobre cada um dos nigiri sushi que formou, fazendo leve pressão para firmá-lo bem. Prenda o camarão com uma tira fina de alga nori que deve unir as suas pontas (untadas com óleo de sésamo) na base do nigiri sushi.
Sirva com molho de soja.


Para acompanhar este prato, recomendo:




O Tal da Lixa - Sparkling
Quinta da Lixa

Região: Vinhos Verdes

Processo de vinificação obtido pelo método de Charmat, trata-se de um Espumante Extra-Seco, que teve por base Vinho Regional Minho Branco, elaborado a partir das castas Avesso e Arinto.
Notas de Prova: Apresenta uma cor citrina, com aromas frutados e uma complexidade muito agradável. A bolha fina e persistente mostra bem a qualidade deste Espumante.










Para preparar este sushi usei o Sushi Maker Tupperware da Abóbrinhas:























Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Novarroz, Abóbrinhas, Kikkoman, Sovex, Marnoto e Quinta da Lixa pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.




terça-feira, 21 de abril de 2015

Pãezinhos Recheados com Bacalhau Cremoso



















400 g de bacalhau demolhado (usei o bacalhau demolhado ultracongelado da Bacalhau Dias)
12 pães bijou
3 dentes de alho
1 cebola
50 ml de azeite (usei o azeite biológico virgem extra da marca Acushla)
200 ml de leite
20 g de margarina
20 g de farinha
1 pitada de pimenta branca (usei da marca Margão)
1 pitada de noz moscada
100 ml de natas
Sal q.b. (usei o sal marinho Marnoto)
Salsa fresca q.b.
200 g de queijo ralado grosseiramente (usei o queijo amanteigado da Lacticínios do Paiva)


Comece por cozer o bacalhau, em água fervente, durante 10 minutos. Escorra-o e transfira-o para um prato para arrefecer. Limpe o bacalhau de peles e espinhas e lasque-o.
Entretanto, aqueça o azeite e junte-lhe a cebola e os dente de alho bem picados, deixando-os amolecer em lume brando. 
Acrescente o bacalhau, tempere com sal e deixe cozinhar por mais 4 minutos. 
Enquanto isto, derreta a margarina, junte-lhe a farinha, mexa e acrescente o leite morno, aos poucos, Quando começar a engrossar, desligue o lume e tempere com sal, pimenta e noz moscada. Adicione-lhe as natas, retifique o sal e envolva.
Misture o molho branco ao preparado de bacalhau, acrescente um pouco de salsa picada e envolva.
Faça uma abertura no topo de cada pãozinho e retire-lhe parte do seu interior, isto para que se semelhem a pequenas taças. 
Encha cada um dos pãezinhos com o creme de bacalhau e polvilhe-os com o queijo picado grosseiramente.
Leve ao forno, pré-aquecido a 180ºC, por 5-8 minutos ou até o queijo gratinar e alourar.
Sirva os pãezinhos mornos.



Para acompanhar este prato, recomendo:



Volúpia Branco 
Caves do Solar de São Domingos


Castas: Sauvignon blanc (50%), Chardonnay (35%) e Maria Gomes (15%)

Notas de prova:
Aroma intenso e complexo, em que a mineralidade predomina sobre as notas florais e citrinas. Cheio e volumoso na boca, de acidez subtil, revela a fruta em toda a sua plenitude, tornando-se um conjunto de
qualidade única.









Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Bacalhau Dias, Lacticínios do Paiva, Acushla, Margão, Necton e Caves do Solar de São Domingos pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.



segunda-feira, 20 de abril de 2015

Mil Folhas de Morangos


















1 placa de massa folhada retangular
250 g de morangos
Açúcar glacé baunilhado da Royal

Creme pasteleiro baunilhado
1 ovo
1 gema
275 ml de leite meio gordo Terra Nostra
10 g de manteiga (usei Terra Nostra)
60 g de açúcar
12 g de amido de milho
1 c. chá de aroma a baunilha

Comece por cortar 6 retangulos iguais de massa folhada com as seguintes medidas; 15x8 cm.
Coloque a massa sobre um tapete de silicone, pique-a bem com um garfo em toda a sua superfície e cubra com papel vegetal. 
Leve ao forno, pré-aquecido a 200ºC e, quando a massa começar a crescer, cubra-a com um tabuleiro (este método fará com que a massa não cresça demasiado). Após alguns minutos, retire o tabuleiro e deixe a massa terminar de assar e adquirir um tom dourado. Transfira-a, com cuidado, para um prato e deixe-a arrefecer.
Enquanto isto, aqueça o leite e, à parte, misture o amido de milho, o açúcar, o ovo e a gema, misturando-os muito bem. Adicione a esta mistura o leite fervente e envolva bem, com uma vara de arames, para não criar grumos. Junte o aroma de baunilha e leve ao lume, mexendo sempre, até engrossar um pouco. Deixe arrefecer completamente antes de usar.
Num prato de servir, coloque um retangulo de massa folhada e preencha-o com uma porção do creme de pasteleiro, usando para o efeito um saco de pasteleiro munido de um bico frisado.
Sobre este, adicione quartos ou metades de morango, junte mais um pouco de creme e cubra com outra parte de massa folhada. Proceda da mesma forma com o restante creme e morangos e adicione o último rectângulo. Polvilhe-o bem com açúcar em pó e termine decorando com morangos.
Com os restantes ingredientes deve seguir o mesmo processo e montar outro mil folhas.

Nota: Rende 2 mil folhas de tamanho médio.



Para acompanhar esta sobremesa, recomendo:


Late Bottled Vintage (LBV) 2009 - Quinta do Estanho

Espuma: Avermelhada
Aroma: Limpo e agradável, com leves notas achocolatadas

Sabor: Limpo e agradável, com taninos equilibrados, denotando ainda um frutado agradável



Vinho do Porto de excepcional qualidade, de uma só colheita oriunda de uvas tintas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz, entre outras.


Verificado com especial rigor, envelhece em tonéis de madeira até ao 4º ou 6º ano e depois em garrafa.





Para preparar esta sobremesa usei os seguintes produtos da Abóbrinhas:






Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta sobremesa.

O meu muito obrigada à Royal, Terra Nostra, Abóbrinhas e Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...