Blogger templates

traduzir para inglêsTraduzir para Espanholtraduzir para françêstraduzir para alemão

segunda-feira, 30 de março de 2015

Folar de Carnes e Queijo




















1 chouriço de carne extra da Sicarze
400 g de carne de frango assada e desfiada
200 g de queijo flamengo Terra Nostra, muito bem picado
450 g de farinha 
32 g de fermento de padeiro fresco (usei 1 saqueta de fermento de padeiro Vahiné)
25 g de açúcar
2 ovos
65 g de azeite (usei o azeite transmontano Casa dos Pradas que pode adquirir na Escrinho)
20 g de banha de porco (ou um substituto vegetal)
30 g de manteiga Terra Nostra
50 ml de leite Terra Nostra
1/2 c. chá de erva doce em pó
1 pitada de canela em pó (usei da marca Margão)
1 haste pequena de tomilho
1 c. chá (mal cheia) de sal (usei o sal marinho Marnoto)


Comece por aquecer 100 ml de água e adicione-lhe o fermento, o sal e uma pitada de açúcar. Deixe-o dissolver completamente e junte 150 g da farinha indicada na receita. Amasse e vá adicionando mais farinha até que a massa não grude nas mãos. Forme uma bola, coloque a massa num recipiente e tape-o com um pano, deixando levedar até dobrar de volume (cerca de 1 hora).
Entretanto, misture a manteiga com o azeite e a banha, leve ao lume, junte o tomilho e deixe derreter.
Quando amornar, descarte o tomilho e adicione as gorduras à massa levedada juntamente com a restante farinha e os ovos. Misture bem estes ingredientes e acrescente o leite e o açúcar. Amasse bem até obter uma massa elástica, que não cole muito nas mãos e que não se apresente seca (se necessário, junte mais farinha).
Forme novamente uma bola, tape com um pano e deixe levedar por duas horas ou até dobrar o seu volume.
Entretanto, unte diversos ramekins com margarina e unte-os com farinha. 
Desfie a carne e livre-a de gorduras e peles. Retire a pele ao chouriço e corte-o em pedacinhos.  Pique o queijo o mais que puder. Misture os três e reserve.
Forme bolinhas de massa com 50g, ou medidas aproximadas, achate-as, passe-as levemente por farinha, de ambos os lados, e forme círculos com o diâmetro dos ramekins que usar.
Coloque um círculo de massa no fundo de cada ramekin, adicione uma porção da mistura de carnes e queijo, cubra com outro círculo de massa e acalque bem as pontas das duas para que estas unam. Siga este processo até encher o ramekin, tendo em conta que a última camada deve ser de massa.Volte a tapar com um pano e deixe levedar mais uma hora.
Assim que cresçam, leve-os ao forno, pré-aquecido a 180ºC, e deixe cozer 20-25 minutos.
Depois dos folares cozidos, desenforme com cuidado e sirva morno ou frio.





Para acompanhar este prato, recomendo:


Conde Villar Tinto
Quinta das Arcas


Denominação: Vinho Regional Alentejano
Castas: Aragonez, Trincadeira, Allicante Bouschet, Touriga Nacional
Ano: 2013


Visual: Cor granada e concentrada;
Aroma: Aromas intensos e frutados, frutos vermelhos;
Boca: Macio e aveludado. Bem estruturado, os taninos e a acidez estão bem conjugados com a fruta abundante.

Visite a loja online: www.quintadasarcas.com/lojadaquinta/





Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Sicarze, Terra Nostra, Margão, Vahiné, Escrinho, Marnoto Quinta das Arcas pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.











sexta-feira, 27 de março de 2015

Choquinhos à Algarvia






















500 g de chocos médios/pequenos, limpos (usei os chocos limpos e congelados da marca Ibertejo, que pode adquirir no Jumbo/Pão de Açúcar)
4 dentes de alho
1 fio de azeite (usei o azeite virgem extra - colheita especial - da Quinta da Lixa)
1 folha de louro
20 g de manteiga (usei da marca Terra Nostra)
80 ml de vinho branco
1 pitada de pimenta branca (usei da marca Margão)
Sumo de limão q.b.
Sal q.b. (usei a flor de sal Marnoto)
1/2 raminho de coentros frescos
Batatas bravas da McCain


Comece por limpar os chocos antes de os usar, é importante que os chocos estejam bem secos antes de os fritarmos, por isso o ideal é seca-los com um pano.
Aqueça o azeite em lume alto, junte os dentes de alho fatiados e a folha de louro. Quando o alho começar a crepitar, adicione os chocos e deixe fritar.
Tempere com sal, a pimenta. Quando os chocos estiverem tostados de um lado, vire-os e acrescente a manteiga, o vinho branco, o sumo de limão e as folhas de coentros picadas grosseiramente. Deixe fritar até que o molho reduza um pouco e os chocos fiquem perfeitamente cozinhados.
Enquanto isto, leve ao forno, pré-aquecido a 200ºC, as batatas bravas até dourarem.
Sirvas os chocos regados com o molho e acompanhe com as batatas.



Para acompanhar este prato, recomendo:



Quinta da Lixa Branco 
O tal Vinho da Lixa

Castas: Loureiro, Alvarinho e Trajadura
Região: Vinhos Verdes

O Quinta da Lixa é produzido com algumas das mais nobres castas da região dos vinhos verdes, produzidos e vinificados na região que lhes dá o nome.
Aspecto brilhante e cor citrina. No aroma apresenta um carácter frutado com algumas nuances a frutos tropicais e um caracter floral.
Na boca confirma toda a expectativa criada pela intensidade do aroma, muito equilibrado, este vinho apresenta-se seco com complexidade e persistência.







Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Ibertejo, McCain, Terra Nostra, Margão, Marnoto e Quinta da Lixa pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





quinta-feira, 26 de março de 2015

Folar de Cavalinhas Primavera





















3 conservas de cavalinhas primavera da La Gondola
450 g de farinha 
32 g de fermento de padeiro fresco (usei 1 saqueta de fermento de padeiro Vahiné)
25 g de açúcar
2 ovos
65 g de azeite (usei o azeite transmontano Casa dos Pradas que pode adquirir na Escrinho)
20 g de banha de porco (ou um substituto vegetal)
30 g de manteiga (usei a manteiga com sal transmontana da Lacticínios do Paiva)
50 ml de leite 
1 pitada de canela em pó (usei da marca Margão)
1/2 c. chá de erva doce em pó 
1 c. chá (mal cheia) de sal  (usei o sal marinho Marnoto)
1 haste pequena de tomilho ou alecrim



Comece por aquecer 100 ml de água e adicione-lhe o fermento, o sal e uma pitada de açúcar. Deixe-o dissolver completamente e junte 150 g da farinha indicada na receita. Amasse e vá adicionando mais farinha até que a massa não grude nas mãos. Forme uma bola, coloque a massa num recipiente e tape-o com um pano, deixando levedar até dobrar de volume (cerca de 1 hora).
Entretanto, misture a manteiga com o azeite e a banha, leve ao lume, junte o tomilho e deixe derreter.
Quando amornar, descarte o tomilho e adicione as gorduras à massa levedada juntamente com a restante farinha e os ovos. Misture bem estes ingredientes e acrescente o leite e o açúcar. Amasse bem até obter uma massa elástica, que não cole muito nas mãos e que não se apresente seca (se necessário, junte mais farinha).
Forme novamente uma bola, tape com um pano e deixe levedar por duas horas ou até dobrar o seu volume.
Entretanto, unte diversos ramekins com margarina e unte-os com farinha. 
Esmague as cavalinhas com o o próprio molho da lata e reserve,
Forme bolinhas de massa com 50g, ou medidas aproximadas, achate-as, passe-as levemente por farinha, de ambos os lados, e forme círculos com o diâmetro dos ramekins que usar.
Coloque um círculo de massa no fundo de cada ramekin, adicione uma porção da mistura de cavalinhas, cubra com outro círculo de massa e acalque bem as pontas das duas para que estas unam. Siga este processo até encher o ramekin, tendo em conta que a última camada deve ser de massa.Volte a tapar com um pano e deixe levedar mais uma hora.
Assim que cresçam, leve-os ao forno, pré-aquecido a 180ºC, e deixe cozer 20-25 minutos.
Depois dos folares cozidos, desenforme com cuidado e sirva morno ou frio.





Para acompanhar esta entrada, recomendo:


Tinto DOC 2011 - Quinta do Estanho


É um vinho do Douro tinto, produzido a partir das castas Touriga Francesa, Tinta Roriz, Barroca e Mourisco.
Vinificado em lagares de granito com curtimenda prolongada e envelhecido em cascos de carvalho durante três anos.

Aroma complexo a frutos vermelhos, estando bem presente o aroma redutor do envelhecimento em garrafa, que começa a sobrepor-se à madeira bem integrada. Na boca revela-se excelente, macio e complexo, com taninos redondos e tem um final de boca persistente.





Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta entrada.

O meu muito obrigada à La Gondola, Lacticínios do Paiva, Escrinho, Vahiné, Margão, Marnoto e Quinta do Estanho pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.




quarta-feira, 25 de março de 2015

Folar Salgado

















1 linguiça de porco preto da Paladares Alentejanos
1 queijo de azeitão (usei o Divinus, queijo de Azeitão DOP da Lacticínios do Paiva)
225 g de farinha 
17 g de fermento de padeiro fresco (usei (7.5g) de fermento de padeiro seco Fermipan)
15 g de açúcar
1 ovo
30 g de azeite (usei o Azeite Castelo de Marvão)
15 g de manteiga (usei a manteiga com sal transmontana da Lacticínios do Paiva)
10 g de banha de porco (ou um substituto vegetal)
30 ml de leite 
1 pitada de canela em pó (usei da marca Margão)
1 pitada de erva doce em pó 
1/2 c. chá de sal (usei a flor de sal Marnoto)
1 pedacinho de tomilho em rama



Comece por aquecer 50 ml de água e adicione-lhe o fermento, o sal e uma pitada de açúcar. Deixe-o dissolver completamente e junte 75 g da farinha indicada na receita. Amasse e vá adicionando mais farinha até que a massa não grude nas mãos. Forme uma bola, coloque a massa num recipiente e tape-o com um pano, deixando levedar até dobrar de volume (cerca de 30 minutos).
Entretanto, misture a manteiga com o azeite e a banha, leve ao lume, junte o tomilho e deixe derreter.
Quando amornar, descarte o tomilho e adicione as gorduras à massa levedada juntamente com a restante farinha e os ovos. Misture bem estes ingredientes e acrescente o leite e o açúcar. Amasse bem até obter uma massa elástica, que não cole muito nas mãos e que não se apresente seca (se necessário, junte mais farinha).
Forme novamente uma bola, tape com um pano e deixe levedar por duas horas ou até dobrar o seu volume.
Entretanto, unte diversos ramekins com margarina e unte-os com farinha. 
Retire a pele ao chouriço e corte-o em pedacinhos.  Pique o queijo o mais que puder misture com o chouriço, reserve.
Forme bolinhas de massa com 50g, ou medidas aproximadas, achate-as, passe-as levemente por farinha, de ambos os lados, e forme círculos com o diâmetro dos ramekins que usar.
Coloque um círculo de massa no fundo de cada ramekin, adicione uma porção da mistura de carnes e queijo, cubra com outro círculo de massa e acalque bem as pontas das duas para que estas unam. Siga este processo até encher o ramekin, tendo em conta que a última camada deve ser de massa.Volte a tapar com um pano e deixe levedar mais uma hora.
Assim que cresçam, leve-os ao forno, pré-aquecido a 180ºC, e deixe cozer 20-25 minutos.
Depois dos folares cozidos, desenforme com cuidado e sirva morno ou frio.




Para acompanhar este prato, recomendo:




São Miguel - Touriga Nacional
Casa Agrícola Alexandre Relvas
Herdade de São Miguel

Castas: Touriga Nacional

Notas de prova
- Cor
Rubi com reflexos violetas.
- Aroma
Aroma complexo de frutos do bosque, flores brancas e trufas bem integrados com notas de chocolate e tostados.
- Paladar
Redondo, rico e volumoso. Acidez equilibrada e taninos fino. Final longo e complexo.

Prémios: Até agora contam-se 6 prémios associados a este vinho.




Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Paladares Alentejanos, Lacticínios do Paiva, Azeite Castelo de Marvão, Margão,  Fermipan, Marnoto e Casa Agrícola Alexandre Relvas - Herdade de São Miguel pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.











Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...