Blogger templates

traduzir para inglêsTraduzir para Espanholtraduzir para françêstraduzir para alemão

sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Polvo à Lagareiro





















1 kg de polvo (usei o polvo congelado da marca Frip)
1 folha de louro (usei da marca Suldouro)
1 cebola média + 1 pequena
5 dentes de alho
1/2 litro de azeite de qualidade (usei o azeite virgem extra Monsaraz da marca Carmim)
600 g de batatas pequenas com casca
1/2 raminho de salsa fresca, picada
Sal q.b. (usei o sal marinho Marnoto)
Azeitonas mistas retalhadas com ervas aromáticas da Maçarico

Lave muito bem o polvo em água abundante para retirar a areia que ainda poderá ter. Aconselho a usar polvo congelado pois, deste modo, não ficará rijo após o cozimento. 
Coza o polvo em água temperada com sal, uma cebola inteira (pequena) por 45 minutos ou até se apresentar tenro (deve espete-lo com um garfo afim de confirmar se está cozido). 
Enquanto isto, lave muito bem as batatas, sem lhes tirar a casca, e adicione-as a um tabuleiro cerâmico. Salpique-as, abundantemente, com sal e leve ao forno, pré-aquecido a 200ºC, até assarem. Quando prontas, transfira-as para uma tábua de cozinha e, colocando um pano sobre estas, dê-lhes murros, de modo a racha-las ligeiramente. 
Num tabuleiro cerâmico maior, disponha o polvo cozido cortado em pedaços e as batatas a murro, adicione a folha de louro e envolva. 
Sobre estes, acrescente uma cebola em pedacinhos e os dentes de alho também picados. Corte a salsa em tirinhas ou pique-a e salpique sobre o preparado. Por último, regue, generosamente, com azeite. Leve ao forno até tostar por, aproximadamente, 20 minutos.




Para acompanhar este prato, recomendo:

Gouveio

Monsaraz - Alentejo Doc
CARMIM

Casta: Gouveio (100%)

Após a selecção das uvas nas vinhas dos nossos associados, procede-se à vindima manual daquela que será a matéria-prima deste vinho. Chegadas à adega são descarregadas e imediatamente desengaçadas e esmagadas. Após prensagem procedemos a uma clarificação por decantação. A temperatura é então regulada para 16ºC durante a fermentação alcoólica.

Finda a fermentação o vinho passa por um processo de “batonnage” em depósito inox durante alguns meses. Findo o estágio o vinho é cheio no início da Primavera.
Vinho de aspecto cristalino, cor amarela palha com alguns tons esverdeados, aroma de fruta tropical em especial maracujá e manga. Na boca possui bom volume e equilíbrio com excelente frescura e final intenso.






Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Frip, Maçarico, Suldouro, Necton Carmim pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.









quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Gratinado de Maruca com Fiambre e Banana

















400 g de postas de maruca (usei a maruca congelada da marca Frip)
Sumo de limão q.b.
1 pitada de pimenta branca
Sal q.b.
1 fio de azeite (usei o azeite virgem extra Monsaraz da marca Carmim)
4 bananas
4 fatias de fiambre (usei o fiambre da perna extra Nobre Cuida-t +)
Farinha q.b.
Pão ralado q.b. (usei da marca Rialto)

Molho Branco:

400ml de leite (usei o leite-meio gordo Terra Nostra)
40g de margarina
40g de farinha
1 pitada de noz-moscada
1 pitada de pimenta branca  (usei da marca Margão)
Sal q.b.(usei o sal marinho Marnoto)



Comece por retirar a espinha central ás postas de maruca, corte-as a meio e depois em pedaços com 1,5 cm de espessura (poderá, opcionalmente, usar as espinhas para fazer uma sopa). Tempere-as com sal, pimenta branca, sumo de limão e regue com um pouco de leite. Deixe marinar por 2 horas ou, se possível, de um dia para o outro.
Passe os pedaços de peixe por farinha, sacudindo bem o excesso. 
Aqueça o azeite e, quando quente, aloure os filetes de ambos os lados e em lume médio. Disponha-os de seguida, num tabuleiro cerãmico fazendo,assim, a primeira camada do gratinado.
Entretanto, pré-aqueça o forno a 180ºC e prepare o molho branco e prepare o molho branco.
Ao mesmo tempo, descasque as bananas corte-as ao meio e novamente ao meio no sentido do comprimento. 
Sobre o peixe, adicione fatias de fiambre e cubra com o molho que preparou, alisando a sua superfície. Adicione os pedaços de banana, lado a lado, e cubra, abundantemente, com o pão ralado.
Leve ao forno a gratinar por, cerca de, 15-20 minutos.
Sirva com arroz de passas.

Molho Branco:
Comece por aquecer o leite, sem deixar ferver. 
Num outro tacho derreta a manteiga em lume brando, e junte a farinha a pouco e pouco, mexendo bem com uma colher de pau. Vá juntando o leite, pouco de cada vez, mexendo sempre com uma vara de arames para que não crie grumos. Continue sempre a mexer até sentir que o molho começa a engrossar. Quando se começarem a formar as primeiras bolhas da fervura, pare de mexer e deixe cozinhar até ficar ligeiramente espesso. Tempere com sal, pimenta e um pouco de noz moscada e deixe cozinhar mais um pouco.





Para acompanhar este prato, recomendo:

Gouveio

Monsaraz - Alentejo Doc
CARMIM

Casta: Gouveio (100%)

Após a selecção das uvas nas vinhas dos nossos associados, procede-se à vindima manual daquela que será a matéria-prima deste vinho. Chegadas à adega são descarregadas e imediatamente desengaçadas e esmagadas. Após prensagem procedemos a uma clarificação por decantação. A temperatura é então regulada para 16ºC durante a fermentação alcoólica.

Finda a fermentação o vinho passa por um processo de “batonnage” em depósito inox durante alguns meses. Findo o estágio o vinho é cheio no início da Primavera.
Vinho de aspecto cristalino, cor amarela palha com alguns tons esverdeados, aroma de fruta tropical em especial maracujá e manga. Na boca possui bom volume e equilíbrio com excelente frescura e final intenso.






Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Frip, Terra Nostra, Nobre, Rialto, Margão, Necton Carmim pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.










quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

Muffins Fofinhos com Mirtilos

















200 g de farinha
150 de açúcar
1 pitada de sal
2 c. chá de fermento em pó
80 ml de chávena de óleo vegetal
2 colheres de sopa de licor de frutos silvestres (usei da marca Chocolicor)
1 ovo
85 ml de leite
1 chávena de mirtilos frescos Desmoldante em spay Panol da Sodifer


Pré aqueça o forno a 210ºC.
Prepare 16-18 formas de muffins, untando-as e enfarinhando-as (eu somente usei spray desmoldante). Coloque-as dentro de um tabuleiro de ir ao forno, reserve.
Comece por misturar a farinha com o açúcar, o fermento e o sal. Noutro recipiente misture o óleo, o ovo. o licor e o leite. Junte as duas misturas e envolva bem. Acrescente os mirtilos e envolva bem.
Coloque a massa nas formas preenchendo apenas ¾ da sua capacidade. 
Leve ao forno por 30 minutos, aproximadamente (faça o teste do palito). Retire do forno e deixe arrefecer na forma por 5 minutos, desenforme e deixe arrefecer sobre uma grade.

Nota: Pode substituir os mirtilos por um fruto silvestre a seu gosto.



Para acompanhar esta sobremesa, recomendo:


Porto Ruby
Ramos Pinto


É um blend de vinhos com 3 anos de idade, em que se procura suster a evolução da sua cor tinta, mantendo o aroma frutado e o vigor dos vinhos jovens.

Notas de Prova:
Cor vermelha densa, mais intensa do que a do Tawny.
Vivo e intenso. Aromas fortes a frutos característicos das castas, isto é, aromas primários como cereja, amora, ameixa e framboesa, com um ligeiro toque de canela.
O ataque é bastante volumoso devido à sua jovialidade e quantidade de fruto. Pela via rectro-nasal, apercebemo-nos das suas purezas aromáticas provenientes dos aromas das uvas.
Final compacto e longo.




Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta sobremesa.

O meu muito obrigada à Chocolicor Ramos Pinto pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.





terça-feira, 16 de Setembro de 2014

Migas Doces Alentejanas














6 gemas
300 ml de água
250 g de açúcar
2 pedaços de casca de limão
100 g de miolo de pão alentejano
Canela moída q.b. (usei da marca Suldouro)


Comece por juntar o açúcar e as casca de limão a um tachinho com a água indicada. Leve ao lume e deixe ferver por 2 minutos. Retire do lume e junte, de imediato, o miolo de pão, misturando bem.
À parte, bata as gemas, e adicione-as ao preparado anterior, mexendo bem. Leve novamente ao lume e mexa durante 5 minutos.
Transfira o preparado para um prato de servir, decore com canela moída a gosto. Sirva morno ou frio.




Para acompanhar estes docinhos, recomendo:


Porto Lágrima
Ramos Pinto

Uvas provenientes de zonas onde atingem elevado grau de maturação e sujeitas a uma forte maceração pelicular, segundo a antiga tradição do Vinho do Porto.

Notas de Prova:
Cor predominantemente ouro.
Dentro do seu fruto e doçura característicos, sobressaem aromas de tipo floral: camomila e flor de laranjeira, com toques de mel.
Paladar adamado, glicerinado, com fruta madura, envolvida por uma intensidade fresca. Final de boca de sabor gordo e persistente, com um agradável toque de mel.








Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação destes docinhos.

O meu muito obrigada à Suldouro Ramos Pinto pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.



segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Salada de Polvo e Pimentos com Biscottinas de Alho e Salsa
















3 conservas de polvo em azeite e alho da marca La Gondola
Azeite de boa qualidade (usei o azeite biológico virgem extra da marca Acushla)
Vinagre a gosto (usei da marca Paladin)
1 pimento vermelho
1 pimento verde
2 dentes de alho
1 pitada de pimenta branca (usei da marca Margão)
Sal q.b. (usei a flor de sal Marnoto)
1 embalagem de biscottinas de alho e salsa da marca Rústica / Rialto



Comece por escorrer o polvo, reserve o azeite da lata e corte-o em pedaços. Junte-lhe a restante cebola picada e acrescente os pimentos em cubinhos e os dentes de alho bem picados. 
Envolva muito bem o preparado e tempere com pimenta branca, o azeite reservado, vinagre e um pouco mais de azeite. Misture bem e retifique o sal. Leve ao frigorífico para refrescar durante 30 minutos e sirva sobre biscottinas de alho e salsa.



Para acompanhar esta entrada, recomendo:



Espumante Conde Villar Bruto
Quinta das Arcas


Denominação: Espumante Bruto Reserva
Ano: 2011

Espumante natural com aromas delicados e frutados. Apresenta caraterísticas organolépticas excecionais, com acidez crocante e bem equilibrada conferem-lhe um final bem longo e distinto. Ideal para acompanhar ocasoões de celebração ou ainda para acompanhar doçaria tradicional.








Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação desta entrada.

O meu muito obrigada à La Gondola, Acushla, Paladin, Rialto, Margão, Necton Quinta das Arcas pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.







sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

Safio Estufado com Feijão Branco


















500 g de feijão branco cozido (usei da marca Compal)
600 g de safio, cerca de 4 postas
2 colheres de sopa de azeite (usei o azeite virgem extra Monsaraz da marca Carmim)
1 cebola picada
2 dentes de alho
1 folha de louro
350 g de tomate triturado (usei da marca Compal)
80 ml de vinho branco
1 colher de chá de salsa
Molho de piripiri a gosto (usei da marca Flor das Hortas)
1 pitada de pimenta branca (usei da marca Margão)
1/4  de colher de chá de pimentão doce (usei da marca Margão)
Farinha q.b.
Salsa picada q.b.
Sal q.b. (usei o sal marinho Marnoto)
Azeitonas mistas retalhadas com ervas aromáticas da Maçarico

Aqueça o azeite e junte-lhe a cebola e os dente de alho bem picados. Deixe amolecer um pouco e acrescente o tomate picado e a folha de louro.
Deixe estufar, mexendo de vez em quando, até o tomate e a cebola estarem cozidos. Regue com o vinho branco, tempere com sal, pimenta, salsa e molho de piripiri. Mexa e adicione um pouco de água da cozedura do feijão que se encontra na lata.
Deixe ferver cerca de 8 minutos e acrescente as postas de safio, previamente passadas por farinha. Tape o tacho e coza, em lume médio, durante cerca de 15 minutos ou até o peixe estar cozido. Junte o feijão e deixe retomar fervura. Retifique os temperos, sirva polvilhado com salsa picada e acompanhe com arroz branco.





Para acompanhar este prato, recomendo:

Gouveio

Monsaraz - Alentejo Doc
CARMIM

Casta: Gouveio (100%)

Após a selecção das uvas nas vinhas dos nossos associados, procede-se à vindima manual daquela que será a matéria-prima deste vinho. Chegadas à adega são descarregadas e imediatamente desengaçadas e esmagadas. Após prensagem procedemos a uma clarificação por decantação. A temperatura é então regulada para 16ºC durante a fermentação alcoólica.

Finda a fermentação o vinho passa por um processo de “batonnage” em depósito inox durante alguns meses. Findo o estágio o vinho é cheio no início da Primavera.
Vinho de aspecto cristalino, cor amarela palha com alguns tons esverdeados, aroma de fruta tropical em especial maracujá e manga. Na boca possui bom volume e equilíbrio com excelente frescura e final intenso.






Aqui estão os produtos fantásticos que usei na preparação deste prato.

O meu muito obrigada à Compal, Pimensor, Suldouro, Maçarico, Necton Carmim pela simpatia e pelos produtos, de grande qualidade, que me enviaram.














Imprimir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...